O Brasil tem um caso de amor com o caju. Essa fruta não apenas nos proporciona um delicioso fruto usado em diversas receitas, como também nos dá uma ótima fonte de ácidos graxos ômega 3 na forma da castanha de caju. Conhecer mais sobre o fruto do caju e sobre a castanha do caju vai te ajudar a ver mais dos benefícios que eles trazem para sua saúde quando combinados.

O que é caju?

O caju é chamado assim no Brasil, maranon em alguns locais de língua espanhola e merey na Venezuela. A palavra original é acaju (que significa “noz que se produz”), que vem da língua do povo tupiano que vive no nordeste do Brasil, onde se originam os cajueiros. No entanto, agora você pode encontrar cajus cultivados em muitos países que desfrutam de climas tropicais.

O cajueiro foi exportado pela primeira vez do Brasil para Goa, na Índia pelos portugueses entre 1560 e 1564. Com o passar do tempo, a árvore continuou a estender sua presença ao sudeste da Ásia e à África, onde ainda hoje é cultivada.

No início da década de 1970, a maioria da produção global de caju (68%) ocorreu na África, especificamente em Moçambique (uma ex-colônia portuguesa) e na Tanzânia. Desde então, a produção de caju mudou para os países asiáticos, com o Vietnã sendo o maior exportador de caju nos últimos 11 anos.

O que é a castanha de caju?

O caju tecnicamente não é uma oleaginosa. O caju é uma semente colhida da caju, fruto produzido por cajueiros.

Ao contrário de muitas outras oleaginosas e sementes, o caju cresce fora da fruta em vez de dentro, dentro de uma drupa em forma de rim que fica pendurada no final da base da maçã.

Essa drupa é considerada o fruto “verdadeiro” da árvore, enquanto a “carne” do caju é considerada um acessório ou fruto “falso”.

Contida dentro desse fruto “verdadeiro”, há uma única semente, que é o caju.

Vale a pena acrescentar que, embora o caju seja certamente o produto mais famoso do cajueiro, a caju é uma iguaria em muitos países, incluindo no Brasil, e é usada para fazer sucos, geleias, caril e um licor indiano chamado feni.

Benefícios do caju e castanha

Consuma o caju e a castanha de caju para obter benefícios saudáveis na sua dieta. (Foto: Wikipedia)

Por que a casca do caju é venenosa?

O caju cru contém urushiol, uma resina que é tóxica se ingerida e pode causar erupções cutâneas ou queimaduras se entrar em contato com a pele.

Para remover essa substância, o caju deve passar por um rigoroso processo de torrefação ou vapor para garantir que seja seguro comer. É por isso que você sempre verá cajus descascados no supermercado.

Antes desse processo de torrefação, no entanto, os cajus tem um lindo tom de verde!

Os cajus pertencem à mesma família que mangas, hera venenosa e pistaches.

A parte prejudicial do caju (que também pode ser encontrada nas plantas de manga) é o mesmo ingrediente que torna a hera venenosa venenosa.

Benefícios do caju

Os cajus são uma excelente fonte de micronutrientes, isto é, vitaminas e minerais, incluindo cobre, manganês, magnésio e fósforo, vitamina K, ferro e zinco.

Uma porção de 28 gramas de castanha de caju torrada seca fornece 9% do valor diário recomendado de proteína, mas também 8% do valor diário de calorias.

Como sempre, lembre-se de que as oleaginosas são alimentos densos e de alta energia, então um pouco ajuda muito!

Cajus na cozinha

Os cajus são bem conhecidos por seu rico sabor e textura amanteigados. Eles são amplamente utilizados na culinária asiática e são um ingrediente em muitos pratos salteados.

O caju é cada vez mais popular na fabricação de substitutos lácteos, como manteiga, leite, queijo e sorvete feitos com a fruta.

Eles também são um excelente ingrediente para molhos espessantes.

O que vocês acham do caju? Já colocaram essa deliciosa fruta em suas dietas? E a castanha de caju?

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)